Como você cuida de sua autoestima?

artigo 2 autoestima

Você saberia dizer qual foi a última vez em que parou para pensar como suas crenças tem afetado seus dias e você sequer se deu conta do quanto isso pode estar influenciando em sua autoestima. Quando falamos do universo humano nos deparamos quase que diariamente com algumas inseguranças,  em algumas  situações a necessidade de aprovação,  a busca pelo corpo perfeito, a procura por reconhecimento profissional e pessoal, entre outras coisas, estes podem ser alguns  dos sinais de que alguma coisa está errada.

Em uma pesquisa sobre autoestima realizada por uma grande empresa multinacional de beleza há alguns anos atrás somente 4% das mulheres entrevistadas mundialmente se consideram bonitas. Mas de onde vem a verdadeira beleza? Da aparência física ou da autoestima e da autoimagem que fazemos sobre nos mesmos.

Agora imagine como esta autoestima  é afetada quando nos comparamos com os ideais limitados da aparência física, divulgados em grande proporção e pela mídia de massa. Chegar a esses ideais de beleza, de excelência profissional tornou-se um trabalho extremamente árduo para algumas pessoas. Atingir a estes padrões tem sido uma das grandes problemáticas para uma grande parcela de jovens, homens e mulheres, o que tem contribuído e muito com o aumento da baixa estima. Não estamos aqui fazendo nenhuma apologia a desleixo pessoal e profissional, muito pelo contrário apenas estamos analisando um comportamento existente em uma grande parte de população.

O significado da palavra autoestima é muito claro: Característica da pessoa que se valoriza, estando satisfeita com sua maneira de ser, com sua forma de pensar ou com sua aparência física, expressando confiança em suas ações e opiniões.

A autoestima e a qualidade de vida

Quando falamos de autoestima, automaticamente estamos falando da autoaceitação, o primeira grande mudança de comportamento para quem quer aumentar a sua autoestima, deve começar pelo admirar de suas próprias qualidades, sem julgamento, compreender que a beleza e a excelência está em olharmos para dentro e reconhecermos em nossa mente, que a busca pelo  bem-estar  pessoal se inicia com um trabalho de reconhecimento interno e que essa atitude  ajuda na melhora da produtividade e nos relacionamentos em todas as áreas de sua vida.

Portanto, se não nos engajarmos para termos uma ótima relação conosco, como poderemos manter boas relações nos ambientes em que atuamos na vida. Ter uma relação de autoaceitação, é uma ferramenta crucial para nos posicionarmos com segurança e equilíbrio. A mudança de comportamento não acontece de dia para noite, mas ela só irá acontecer se você assim decidir e começar a fazer movimentos gradativos e comprometidos consigo mesmo para promover esse esta mudança. Tome cuidado com o “autoflagelo” entenda que as frustrações fazem parte de nosso crescimento e nos fortalece. Ouça suas próprias vontades.

Por outro lado, se você  continua no processo de “autoflagelo” rejeitando a si mesmo, consequentemente irá rejeitar tudo aquilo está a sua volta, e que você não acessa por conta de sua baixa estima e as consequências podem ser ainda mais sérias, você pode vir a desenvolver  doenças emocionais.

Combata a baixa estima,  aceitando quem realmente você é

Para combater a baixa estima, e reconquistar a estima por nos mesmos, é muito simples, basta estar decidido a fazer uma busca interna e não externa, é um olhar atento para dentro de si. Podemos usar como ferramenta para continuar neste processo de elevação de estima uma atitude que utilizamos quando nos aproximamos de alguém que não conhecemos bem. Nos aproximamos desta pessoa, ouvimos o que ela tem a dizer, entendemos um pouco mais sobre o que ela gosta e o que ela não gosta, o que faz bem a ela e começamos a criar uma relação de afinidade com esta pessoa, faça o mesmo com você, comece se aproximando de você mesmo.

E ainda continuar com algumas dicas para isso, aprende a ouvir a sua voz interior, quando começar a pensar negativamente, pare por um minuto, e analise a situação, como se estivesse olhando de fora. Isso poderá ajudá-lo a enxergar qual o real motivo do sentimento negativo  que está sentindo sobre si mesmo, comece dar nome  correto aos seus sentimentos. Faça uma lista com seus atributos positivos e coloque em um local visível para que você possa ler toda vez que passar por ele. Reserve um tempo de seu dia para fazer algo de que gosta muito e que te faz bem, nem que seja apenas parar por alguns minutos no seu dia para ouvir e dançar a sua música predileta, não há nada de errado nisso. Você é quem você é e ninguém pode mudar isso. Então seja você mesmo, valorize-e, aprenda a aceitar tudo aquilo que você é, siga os seus padrões  internos e  não os externo e todo resto virá com ele. Tudo depende só de você!

Márcia Colombani Pavani